2º Workshop em Software Livre de Matemática


“Workshop em Software Livre de Matemática”

Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, 3 de julho de 2019


Este encontro científico é dirigido a toda a comunidade do ensino superior e do ensino básico/secundário, onde os participantes terão oportunidade de assistir a sessões plenárias e sessões práticas… Estão confirmadas apresentações sobre software livre, em particular sobre Geogebra, R, Python, Scratch, Latex e Julia.

A participação é gratuita, mas requer uma inscrição. A cada participante será emitido um certificado de participação, em formato digital.



Inscrição

Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório.

 
   
N.º Telemóvel:
 
Instituição de Origem:
Tipo:
 
Sessão
Preferência

R

Python

Scratch

Geogebra

Latex

Julia

Programa



09h30-10h00 Registo, documentação e abertura
10h00-10h50 Sessão Plenária 1 - Cristina Barros (Instituto Politécnico de Leiria; Coordenadora INCoDE, Eixo 3: Qualificação)
"Transformação da big data em valor e conhecimento na era i4.0"
Auditório do ISEC
10h50-11h10 Pausa para Café
11h10-13h10 Sessão Prática
Geogebra
João Marques
(L1.8 - DEIS)
Sessão Prática
Julia Computing
Rui Rodrigues
(L1.7 - DEIS)
Sessão Prática
LaTeX
Pedro Quaresma
(Lab. QA2S4-DEQB)
Sessão Prática
Python
Ricardo Pereira
(Lab. EM1S3-DEM)
Sessão Prática
Scratch
Ricardo Almeida
(Lab. LIS 3-DEC)
Sessão Prática
Software R
Luis Margalho
(Lab. 1 - DFM)
13h10-14h50 Almoço
14h50-15h40 Sessão Plenária 2 - Vera Viana - APROGED (Presidente Associação de Professores de Geometria e Desenho)
"Geometria Descritiva Interactiva"
Auditório do ISEC
15h40-16h00 Pausa Café
16h00-18h00 Sessão Prática
Geogebra
João Marques
(L1.8 - DEIS)
Sessão Prática
LaTeX
Pedro Quaresma
(Lab. QA2S4-DEQB)
Sessão Prática
Python
Ricardo Pereira
(Lab. EM1S3-DEM)
Sessão Prática
Scratch
Ricardo Almeida
(Lab. LIS 3-DEC)
Sessão Prática
Software R
Luis Margalho
(Lab. 1 - DFM)

Transformação da big data em valor e conhecimento na era i4.0

Numa era i4.0 em que se pretende assegurar um fluxo contínuo de informação numa dada cadeia de valor, através da integração entre sistemas, máquinas, equipamentos e pessoas, impõe-se o desafio às empresas de serem capazes de definir uma arquitetura de gestão e indexação de dados brutos, a designada Big Data, que avalie o seu desempenho, em tempo real, e gere conhecimento e valor sustentável. Neste processo de digitalização de processos é fundamental definir: 1- A infraestrutura tecnológica a implantar para a gestão segura de dados. 2- O design das aplicações para a gestão do negócio. 3- Os protocolos de comunicação a instalar para ligar máquinas e equipamentos a sistemas de informação. 4- A arquitetura de dados que assegura o controlo das variáveis críticas dos processos e produtos. 5- As estratégias de data mining para a gestão e catalogação da Big Data. 6- As técnicas estatísticas a usar para transformar dados em conhecimento e valor para o negócio. 7- As ferramentas a selecionar para programar as lógicas do negócio, algoritmos de tratamento de dados e de inteligência artificial. A presente comunicação visa assim a análise dos passos chave para a transformação digital e a apresentação do caso de estudo do projeto de I&DT da aplicação ACCEPT MSA da SINMETRO, que implicou o desenvolvimento de raiz de uma estratégia tecnológica que incorpora um conjunto de componentes e aplicações (ilustrada na Figura 1) que permitiu obter uma solução inovadora perante o estado da arte.

Cristina Alexandra Barros
Licenciada em Eng. Química e Mestre em Instrumentação, Manutenção Industrial e Qualidade. É Professora Adjunta e Especialista em Engenharia e Gestão Industrial do IPLeiria. É sócia fundadora das empresas SINMETRO, AFERYMED e GUGGA onde é consultora de projetos de gestão estratégica, I&DT, inovação e reengenharia. É cocoordenadora do Eixo 3- Qualificação da Iniciativa INCoDe.2030. É mãe de três filhos e adora Trail Running.

Geometria Descritiva Interactiva

Em contexto educativo, as tecnologias informáticas complementam de forma ímpar os métodos de ensino tradicionais, não apenas pelo forte apelo visual e potencial motivacional que por si só representam, mas também pelo modo como apoiam os professores na sua prática lectiva e os alunos na sua aprendizagem. Quando efectivamente utilizadas como recursos pedagógicos, as ferramentas digitais representam, para a grande maioria dos conteúdos curriculares, uma mais-valia com um potencial imenso, especialmente se forem utilizadas de forma inovadora. É hoje inquestionável a mais-valia que os softwares de geometria dinâmica vieram proporcionar à didáctica da Geometria e o modo como optimizaram o seu ensino, facilitando a construção do conhecimento dos alunos através da experiência dinâmica da descoberta e, implícita e desejavelmente, a apetência para a aprendizagem da Matemática. De modo idêntico, este tipo de software abriu novas possibilidades para o ensino da Geometria Descritiva, ao proporcionar a introdução de uma componente dinâmica na sua didática, que permite visualizar graficamente várias possibilidades a partir de uma única situação concreta. Deste modo, o aluno melhor poderá compreender o que permanece constante naquilo que é variável e deduzir as invariantes nos elementos e figuras geométricas em estudo, interiorizando as suas propriedades, para mais claramente compreender o que representa e como o representa. Dadas as versáteis tecnologias informáticas ao alcance de todos e como possível resposta às exigências do mundo actual, torna-se evidente que o ensino da Geometria Descritiva deve reconhecer a necessidade de uma reorientação, sem que com ela os objectivos que norteiam os processos de ensino e de aprendizagem da disciplina deixem de ser contemplados - continua-se a considerar como fulcral que quem recebe formação no Ensino Secundário para lidar com questões do espaço e as representar, desenvolva a sua capacidade de ver e de compreender as figuras e sólidos geométricos no espaço e suas posições relativas, de os representar no plano bidimensional e, inversamente, da sua representação deduzir a sua configuração e depreender a sua posição no espaço, de acordo com os objectivos que Gaspard Monge definiu em finais do séc. XVIII. Nesta apresentação, procurar-se-ão demonstrar algumas potencialidades do software GeoGebra para a exploração didáctica de conteúdos de geometria descritiva (com uma breve incursão pela geometria poliédrica), através dos seguintes recursos didácticos: construções dinâmicas e construções passo-a-passo.

NOTA BIOGRÁFICA:
Vera Viana desenvolve investigações sobre geometria poliédrica e sobre as relações entre Arquitectura e Matemática como Investigadora no Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto. Doutoranda em Didáctica das Ciências e da Tecnologia (Especialidade de Didáctica de Ciências Matemáticas) pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, com a tese “Tesselações Uniformes com Poliedros Convexos - Aplicações didácticas para o Ensino da Geometria”. Como Presidente da Direcção da Aproged (Associação dos Professores de Geometria e de Desenho) desde 2009, Vera Viana organiza, entre outras funções, as Conferências Internacionais Geometrias, as Jornadas Didácticas, os Encontros Nacionais da Aproged e edita os Proceedings das Conferências Geometrias e os Boletins da Aproged. Como Professora de Geometria Descritiva, Formadora de Professores (exploração de software de geometria dinâmica) e autora de manuais escolares de Geometria Descritiva para o ensino secundário, Vera Viana está envolvida, desde 2001, no desenvolvimento de recursos educacionais com software de geometria dinâmica, de modelação tridimensional e de modelação algorítmica e é autora de artigos e apresentações sobre o assunto em conferências nacionais e internacionais.

Workshop sobre Geogebra:

Principais características do Geogebra; O estudo de funções no Geogebra; O estudo de geometria no Geogebra; A calculadora gráfica do Geogebra – aplicação para dispositivos moveis; A utilização da calculadora gráfica do Geogebra em contexto de avaliação – o modo exame; A realidade aumentada e o Geogebra.

João Marques
Professor de Matemática e Informática do ensino Básico e Secundário. Diretor Pedagógico do Instituto de Ciências Educativas. Licenciado em Matemática pela Universidade de Coimbra e em Informática pela Universidade Católica Portuguesa. Mestre em Administração e Organização Escolar. Curso de Especialização em Análise de Dados pela Escola Superior de Tecnologias e Gestão do Instituto Politécnico de Viseu. Professor de matemática desde 1998 e de informática desde 2006. Doutorando em Tecnologias Educativas – Universidade do Minho. Integrou, na Direção-Geral da Educação, a Equipa de Recursos e Tecnologias e fez parte da equipa nacional de apoio do projeto eTwinning.

Estatística Descritiva e Inferencial em ambiente R

Será feita uma apresentação das ferramentas mais usuais para uma análise descritiva de dados usando o software R (http://cran.r-project.org/) e RStudio (https://www.rstudio.com/), através da determinação de medidas de localização e de medidas de dispersão, bem como da representação gráfica. Posteriormente, serão abordados problemas de inferência estatística, ilustrados com a determinação de intervalos de confiança para o valor esperado e para a variância, bem como a realização de testes de hipóteses para os mesmos parâmetros.

Luís Margalho
Luís Margalho é professor adjunto no Departamento de Física e Matemática do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC/IPC). Licenciado em Matemática pela Universidade de Coimbra, Mestre em Matemática Aplicada pela Universidade do Porto e Doutorado em Matemática Aplicada pela Universidade do Minho. No ISEC, tem lecionado unidades curriculares de Probabilidades e Estatística, Análise Matemática e Análise Numérica. A sua atividade de investigação tem sido efetuada na área de modelos geo-estatísticos para dados espaço-temporais, com aplicações a dados do ambiente e da saúde.

Curso de LATEX

A produc~ao de texto cient co, utilizando programas computacionais, esta longe de ser uma tarefa facil. As di culdade centram-se na escolha de um programa e de um sistema computacional com os quais possamos ser produtivos na tarefa em quest~ao e, apos esta etapa preliminar, na escrita propriamente dita.
Quanto a primeira etapa a quest~ao esta completamente resolvida com o sistema TEX/LATEX. Quanto ao sistema computacional esta resolvida dado que o sistema TEX, sistema de codigo aberto, esta implementado num semn umero de sistemas computacionais diferentes. Quanto a adequac~ao do sistema TEX/LATEX para a escrita de texto cient co, a resposta (positiva) e dada na apresentac~ao.
A apresentac~ao Curso de LATEX destina-se a proporcionar uma introduc~ao ao LATEX para todos aqueles que pretendam produzir texto com uma qualidade tipogra ca. Introduz-se o sistema descrevendo as suas caractersticas, os sistemas computacionais disponveis para a sua utilizac~ao e como escrever o que se pretende.

Pedro Quaresma
Pedro Quaresma doutorou-se em Informática, área do conhecimento dos Fundamentos da Informática, pela Universidade do Minho em 1998. Professor Auxiliar do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra. Tem mais de 50 artigos publicados sob revisão por pares, dos quais 8 artigos em periódicos indexados (ISI e/ou Scopus), 12 artigos em Lecture Notes in Artificial Intelligence (LNAI), também possui 13 publicações como editor, das quais um volume das LNAI e três volumes dos Electronic Proceedings in Theoretical Computer Science (EPTCS). Pertence ao Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra. Desenvolve a sua investigação nas áreas da dedução automática, gestão do conhecimento matemático, aplicações para a geometria e TIC para a educação.

Resumo do tema a Apresentar

O Scratch é um software de programação básica, disponível de forma gratuita para todos os seus utilizadores, de todas as idades, e permite a elaboração de animações, histórias interativas, jogos, apresentações, entre muitos outros, combinando facilmente imagens, fotos, músicas, movimento, etc. É possível criar personagens, que dancem, cantem, contem uma história, que interagem de forma divertida entre si, que ensinem conceitos matemáticos, linguísticos, cívicos, entre muitos outros. O Scratch foi desenvolvido pelo Lifelong Kindergarten Group no MIT Media Lab com o objetivo de auxiliar ou alunos com dificuldades nas unidades curriculares de programação. Hoje em dia é uma comunidade de aprendizagem interativa, presente em mais de 150 países com mais de 11 milhões de utilizadores. A utilização desta plataforma permite que os seus utilizadores aprendam a pensar de forma criativa, a trabalharem de forma colaborativa e a pensar de forma sistemática na solução de problemas. A sessão de formação Scratch pretende promover o interesse pelas Tecnologias da Informação e Comunicação e sensibilizar a comunidade educativa para a importância deste software na área da matemática.

Nota Biográfica
Ricardo Almeida é investigador e doutorando na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, onde tem desenvolvido o seu trabalho na área da Tecnologia Educacional, nomeadamente no desenvolvimento do Pensamento Computacional e na Conceção e Produção de Materiais Educacionais. É educador social e formador, onde leciona conteúdos de programação em Scratch a professores de diferentes níveis de ensino e crianças dos 4 aos 15 anos promovendo o desenvolvimento de competências pedagógicas através de experiências motivadoras e lúdicas.

Python Workshop – 2º WSLM

Summary
In this workshop the basic concepts of the Python language will be introduced, with a special emphasis on its syntax. Moreover, some usage examples of Python for statistics, symbolic mathematics and data visualization will also be discussed. The session will start with a theoretical exposition of the concepts, followed by a practical exercise where the participants will apply the learned topics.

Speaker Biography
Ricardo Pereira is an Invited Assistant teacher and PhD student in Information Science and Technology at the University of Coimbra, where he also got his master’s degree in Informatics Engineering. He also teaches at the Coimbra Institute of Engineering, where he got his bachelor’s degree. He is currently affiliated with the Centre for Informatics and Systems of the University of Coimbra (CISUC) and in the past years he has worked as a grant researcher on the XENON Dark Matter Direct Search Experiment. His main interests are computational intelligence and data processing, with special emphasis on the missing data field.

Introdução à linguagem de programação Julia

O desenvolvimento da linguagem Julia, que é uma linguagem de programação genérica para computação científica, iniciou-se em 2009 como um projeto académico no MIT. A partir de 2012 tornou-se num projeto de código aberto com uma distribuição livre. A linguagem Julia foi pensada e desenvolvida com a simplicidade da linguagem Python, a velocidade da linguagem C, as capacidades de álgebra linear do MATLAB, e a eficácia de uma linguagem de programação genérica. É já evidente o sucesso da linguagem Julia junto dos investigadores da comunidade académica e junto de empresas de renome tais como a Apple, a Google e a Microsoft (juliacomputing.com). Apresenta-se uma introdução à linguagem Julia identificando as suas principais características através de exemplos de temas associados à álgebra e ao cálculo, onde se explora a sua flexibilidade na extensão a outras linguagens de programação.

Rui Rodrigues
Rui Rodrigues é professor coordenador no Departamento de Física e Matemática do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC). É licenciado em Matemática pela Universidade de Aveiro, com mestrado e doutoramento em Matemática pela Universidade de Coimbra. No ISEC tem lecionado diversas unidades curriculares de Matemática nas áreas de Análise Matemática, de Álgebra, de Análise Numérica e Matemática Aplicada e de Probabilidades e Estatística. O ensino de disciplinas de Matemática com a utilização de software é uma das suas áreas de interesse.

Oradores

  • Anabela Gomes (ISEC) [Resumo]
  • Ernesto Costa (Universidade de Coimbra) [Resumo]
  • Fernanda Ledesma (ANPRI - Associação Nacional de Professores de Informática) [Resumo]
  • José Manuel dos Santos (Instituto GeoGebra – Portugal) [Resumo]
  • Luís Margalho (ISEC) [Resumo]
  • Nuno Baeta (ISEC) [Resumo]

Contactos

Comissão organizadora

  • Arménio Correia
  • Carla Fidalgo
  • Cristina Caridade
  • João Cardoso
  • Luís Margalho
  • Nuno Baeta
  • Nuno Lavado
  • Rui Rodrigues
  • Vanda Santos

Contacto: Carla Fidalgo/Luís Margalho (wslm2019@isec.pt)