Licenciatura em Engenharia Informática - Curso Europeu

Apresentação

A União Europeia (UE) e a consequente abolição das fronteiras entre os países membros permitiu o aparecimento de novas exigências e oportunidades no mercado de trabalho. Concretamente, cada cidadão pode considerar-se um trabalhador europeu, podendo livremente desenvolver a sua actividade em qualquer país pertencente à UE. Para tal, é importante ultrapassar algumas barreiras, destacando-se a fluência em várias línguas estrangeiras, as diferentes estruturas curriculares de ensino, os perfis profissionais e as questões culturais.

De uma forma geral, o ensino superior nas instituições europeias não prepara os alunos para fazer face a este novo desafio, podendo implicar um aumento das dificuldades de integração dos seus graduados nos diversos países da UE. A opção tomada por alguns alunos de estudar no estrangeiro implica um aumento significativo dos custos suportados com a educação e o prolongamento do número de anos de estudo. Para fazer face a alguns dos problemas descritos, em Junho de 1999 vários países assinaram a Declaração de Bolonha, com vista à criação da Área Europeia de Ensino Superior (AEES). 

Nesse contexto, um grupo de instituições de Ensino Superior de vários países da Europa decidiu encetar a criação de um curso de cariz verdadeiramente Europeu, denominado de European Computer Science (ECS) ou Curso Europeu de Informática (CEI). 

Este curso constitui um projecto piloto no ensino das Ciências da Computação na Europa, permitindo aos alunos estudar em 2 ou mais instituições dentro da oferta de 7 instituições estrangeiras e em 5 países europeus, sem prolongar o número de anos de estudo. Em conformidade com as mais recentes directrizes europeias, este novo curso dispõe de uma estrutura curricular comum nas várias escolas europeias, assegurando o ensino de línguas estrangeiras e de temas europeus. 

Objectivos

Os objectivos do projecto de criação do curso, apresentado à UE, resumem-se a:

  • criar um curso de âmbito europeu na área de Ciências da Computação;
  • garantir uma estrutura curricular harmonizada entre as instituições participantes no projecto;
  • possibilitar ao aluno estudar numa instituição de ensino superior europeia e numa língua estrangeira;
  • incentivar o estudo de línguas estrangeiras (Francês, Inglês e Alemão) e de temas europeus;
  • disponibilizar aos alunos um leque variado de áreas de especialização nas instituições parceiras;

Destinatários

O cariz vincadamente transnacional do Curso Europeu de Informática (ECS) vocaciona-o especialmente aos alunos que, para além de um elevado nível técnico, estejam motivados para uma carreira internacional e possuam grande capacidade de adaptação, que lhes permita estudar, trabalhar e viver durante um ano num país estrangeiro.

Perguntas Frequentes

  1. O que distingue o curso ECS de outros nesta área?
    O ECS é um curso de cariz verdadeiramente Europeu, permitindo aos alunos estudar em instituições estrangeiras sem prolongar o número de anos de estudo. Em conformidade com as mais recentes directrizes europeias, este novo curso dispõe de uma estrutura curricular comum nas várias escolas europeias, assegurando o ensino de línguas estrangeiras e de temas europeus. 
     
  2. Quais as perspectivas profissionais proporcionadas pelo ECS?
    O ECS dá-te uma perspectiva de uma carreira internacional num vasto leque de domínios especializados na área das ciências da computação, como sistemas de informação, redes, computação gráfica e multimédia, internet, entre outras. Permite uma integração facilitada em Multinacionais de sistemas e tecnologias de informação, operadores de telecomunicações, empresas de projecto e consultoria, empresas industriais e de serviços e administração pública. 
     
  3. Quais os conteúdos de estudo? 
    [ver plano curricular]
     
  4. Que conhecimentos de línguas estrangeiras são exigidos?
    Não há pré-requisitos específicos para conhecimentos de línguas estrangeiras. No entanto, devido à sua natureza, recomenda-se que os alunos tenham, no mínimo, conhecimentos de nível B1 a uma língua estrangeira. 
     
  5. Qual o peso das línguas estrangeiras?
    [ver plano curricular]
     
  6. Que línguas estrangeiras posso estudar?
    Inglês, Francês e Alemão. 
     
  7. Que diploma/diplomas obterá?
    Obtém um diploma de cada instituição onde estudou. Em Coimbra obterá o grau de licenciado em Engenharia Informática (curso europeu). 
     
  8. Qual o custo de vida nos países estrangeiros do ECS? 
    O custo de vida é variável. Poderá candidatar-se a uma bolsa de mobilidade. Por exemplo, as bolsas de morbilidade Erasmus são fixadas de acordo com a diferença de custo de vida entre estudar em Portugal ou num dos países estrangeiros. 
     
  9. Que formas de financiamento existem para estudar no estrangeiro?
    Os alunos poderão candidatar-se a bolsas de mobilidade provenientes dos programas Socrates-Erasmus e Leonardo. As propinas do curso serão pagas apenas na instituição de origem do aluno, ao abrigo da Lei de Financiamento do Ensino Superior. 

Parceiros

  • Instituto Politécnico de Coimbra, Departamento de Engenharia Informática e de Sistemas do Superior de Engenharia de Coimbra
    Situado em Coimbra, o Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) é uma unidade orgânica do Instituto Politécnico de Coimbra. Lecciona licenciaturas bi-etápicas em diversas áreas da engenharia. O Departamento de Engenharia Informática e de Sistemas (DEIS) ministra a Licenciatura bi-etápica em Engenharia Informática e de Sistemas (LEIS), concedendo os graus de Bacharel e Licenciado. 
     
  • Hochschule für Angewandte Wissenschaften (HAW) Hamburg, Alemanha 
    Situada em Hamburgo, na Alemanha, corresponde ao segundo maior estabelecimento de ensino superior dessa cidade. Conta com cerca de 15000 alunos, repartidos por diversas áreas de ensino, nomeadamente Tecnologias da Informação, Gestão, Estudos Sociais e Engenharias. Tem uma boa relação com a indústria, através dos programas de estágios proporcionados, bem como diversos programas de intercâmbio internacionais. 
     
  • Université François Rablais, Tours – Antenne Universitaire de Blois, França 
    A Universidade de Tours, em França, foi oficialmente fundada em Março de 1969, através da agregação de um conjunto de escolas superiores da região. É constituída por 13 faculdades dispersas pela cidade de Tours, com um pólo em Blois. Actualmente frequentam esta universidade cerca de 22700 alunos de várias áreas, destacando-se as Línguas, Ciências Humanas, Medicina e Informática. 
     
  • Universidade de Jean-Paul Verlaine de Metz, França 
    Situada em Metz, na França, acolhe mais de 15000 estudantes. Propões uma oferta de formação pluridisciplinar e desenvolve investigação em várias áreas de conhecimento. 
     
  • West University of Timisoara
    Situada na cidade de Timisoara, Roménia, foi fundada em 1944. A Universidade possui actualmente cerca de 800 docentes, repartidos pela docência e investigação. O número de alunos que frequentavam, em 2010, a Universidade era de cerca de 22000. 
     
  • Università Ca' Foscari Venezia
    Situada na cidade de Veneza, Itália, foi fundada em 1868. A Universidade possui actualmente cerca de 300 docentes, repartidos pela docência e investigação. O número de alunos que frequentavam, em 2010, a Universidade era de cerca de 18500.

Mobilidade

9119 Engenharia Informática 
9885 Engenharia Informática - Pós-laboral 
9770 Engenharia Informática - Curso Europeu 

Provas de Ingresso:

Um dos seguintes conjuntos:
16 Matemática
      e
02 Biologia e Geologia

      ou

16 Matemática

Saídas Profissionais

Os graduados pelo programa European Computer Science serão capazes de construir uma carreira internacional num vasto leque de domínios especializados na área das ciências da computação, como sistemas de informação, redes, computação gráfica e multimédia, internet, entre outras. 

Terão uma integração facilitada em multi-nacionais de sistemas e tecnologias de informação, operadores de telecomunicações, empresas de projecto e consultoria, empresas industriais e de serviços e administração pública.

Plano Curricular

Organização

O curso está organizado em semestres e tem a duração de 3 anos. Divide-se em duas componentes principais:

Componente base

  • corresponde aos dois primeiros anos do curso;
  • será leccionada na escola de origem do aluno;
  • abrange um conjunto de matérias nucleares no âmbito do estudo das Ciências da Computação e das Ciências de Base;
  • garante o ensino de pelo menos duas Línguas Estrangeiras, de entre o Inglês, Francês e Alemão;
  • assegura o estudo de temas europeus, transmitindo aos alunos os conhecimentos culturais e históricos de cada país e da UE.

Componente de especialização

  • corresponde ao último ano do curso (3º ano);
  • o segundo semestre do ano de especialização consiste na realização de um projecto ou estágio numa empresa;
  • leccionada numa das instituições parceiras;
  • cada instituição propõe as especializações que considere adequadas aos alunos provenientes de instituições estrangeiras que façam parte do projecto ECS;
  • os alunos, durante a especialização no estrangeiro, são alunos da instituição origem onde concluíram o 1 e 2º ano e pagam as propinas da instituição origem;
  • o segundo semestre do ano de especialização habitualmente consiste na realização de um projecto ou estágio numa empresa;
  • os alunos obtêm no final da especialização os graus das instituições(normalmente dois graus e duas instituições) onde estudaram e o reconhecimento desses graus por parte de todas as outras instituições parceiras.

A especialização em Inteligência Artificial e Base de Dados, prevista no 3º ano do plano de estudos, destina-se aos alunos de outras instituições parceiras do DEIS-ISEC. Os alunos que ingressem no DEIS-ISEC deverão escolher uma das especializações oferecidas pelas escolas de ensino superior europeias parceiras do DEIS-ISEC neste curso.

Outras Especializações

A especialização em Inteligência Artificial e Base de Dados, prevista no 3º ano do plano de estudos, destina-se aos alunos de outras instituições parceiras do DEIS-ISEC. De acordo com a organização do curso, os alunos que ingressem no curso no DEIS-ISEC deverão frequentar o 3º ano uma das seguintes especializações oferecidas pelas escolas de ensino superior europeias parceiras do DEIS-ISEC neste curso:

Plano

 

1.º Ano
TipoUnidade CurricularSemestreECTSFUC
NormalÁlgebra LinearS15
NormalAnálise Matemática IS16
NormalInglês IS12
NormalIntrodução à ProgramaçãoS15
NormalLínguas Estrangeiras IS13
NormalSistemas DigitaisS15
NormalTecnologias WEBS14
NormalAnálise Matemática IIS26
NormalInglês IIS22
NormalLínguas Estrangeiras IIS23
NormalMétodos EstatísticosS25
NormalMódulo EuropeuS24
NormalProgramaçãoS25
NormalTecnologias e Arquiteturas de ComputadoresS25

2.º Ano
TipoUnidade CurricularSemestreECTSFUC
NormalBases de DadosS15
NormalInglês IIIS12
NormalIntrodução à Inteligência ArtificialS15
NormalIntrodução às Redes de ComunicaçãoS15
NormalLínguas Estrangeiras IIIS13
NormalProgramação Orientada a ObjetosS15
NormalSistemas OperativosS15
NormalConhecimento e RaciocínioS25
NormalEmpreendedorismo e InovaçãoS25
NormalGestãoS25
NormalInglês IVS22
NormalLínguas Estrangeiras IVS23
NormalModelação e DesignS25
NormalProgramação AvançadaS25

3º Ano
TipoUnidade CurricularSemestreECTSFUC
NormalInteligência ComputacionalS16
NormalLíngua e Cultura PortuguesaS16
NormalMetodologias de Otimização e Apoio à DecisãoS16
NormalProgramação WEBS16
NormalSistemas de InformaçãoS16
NormalÉtica e DeontologiaS23
NormalProjetoS227

Diretor de curso

Carlos Manuel Jorge da Silva Pereira
  dc-leice@isec.pt

Competências
  • Representar o curso;
  • Zelar pelo funcionamento regular do curso;
  • Assegurar a coordenação e a qualidade pedagógica do curso;
  • Coordenar a realização dos estágios do curso, se existirem;
  • Coordenar as visitas de estudo e outras atividades do curso;
  • Coordenar a realização da avaliação interna anual do curso;
  • Coordenar os processos de avaliação do curso;
  • Apresentar aos departamentos as necessidades logísticas;
  • Apoiar a integração dos novos alunos no curso;
  • Presidir à comissão de curso e implementar as decisões aí tomadas.

Comissões de curso

As comissões de curso são órgãos dos cursos de licenciatura que funcionam em articulação com o Conselho Pedagógico, com os órgãos dos departamentos e com as comissões científicas a que estão ligados.

Competências
  • Eleger o diretor de curso;
  • Eleger os restantes representantes do curso no Conselho Pedagógico, por corpos;
  • Dar parecer sobre todas as matérias referentes ao curso que lhe sejam colocadas por outros órgãos da escola ou por elementos individuais de qualquer corpo;
  • Apresentar propostas para o plano de atividades dos departamentos a que estão ligados;
  • Propor medidas que assegurem o regular funcionamento do curso;
  • Propor o calendário de avaliação das unidades curriculares do curso;
  • Apresentar propostas e dar parecer sobre orientações pedagógicas, métodos de ensino e de avaliação;
  • Propor alterações curriculares ao curso;
  • Dar parecer sobre a avaliação interna anual do curso;
  • Dar parecer sobre os processos de avaliação do curso;
  • Propor a realização de conferências, seminários e outras atividades de interesse científico e pedagógico;
  • Propor ações de formação;
  • Propor intercâmbios com outras instituições nacionais e estrangeiras;
  • Apresentar propostas sobre as regras de acesso, matrícula, inscrição, reingresso, transferência e mudança de curso.
Composição

A comissão de curso é composta por:

  1. Seis professores que lecionem no curso;

                   Carlos Manuel Jorge da Silva Pereira

                   Ana Rosa Pereira Borges

                   Fernanda Maria dos Reis Brito e Rodrigues Correia

                   Deolinda Simões Marques

                   Viriato António Pereira Marinho Marques

                   José Fernando Fachada Rosado

  1. Seis estudantes do curso.

                   Jacqueline Elizabeth Marques Brites

                   Ana Cristina Justo Baptista Pereira

                   Carolina Condeço Gregório Dinis Barreiros

                   Patrícia Domingues Matos Paulo

                   Bruno Miguel Venâncio Rodrigues

                   Diogo Anselmo Henriques

Júri de creditação de competências

Presidente:

  • Francisco Jose Simões Duarte
      fduarte@isec.pt

 

Vogais:

  • Álvaro Nuno Ferreira Silva Santos
      ans@isec.pt

  • Inês Campos Monteiro Sabino Domingues
      ines.domingues@isec.pt

CONTACTE-NOS

Pode contactar-nos preenchendo este formulário. Responderemos o mais brevemente possível.

Morada

Rua Pedro Nunes
Quinta da Nora
3030-199 COIMBRA
Portugal

Telefones

Telefone: +351 239 790 200
Fax: + 351 239 790 201

E-mail

info@isec.pt